SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.60 número232 índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Articulo

Indicadores

Links relacionados

  • En proceso de indezaciónCitado por Google
  • No hay articulos similaresSimilares en SciELO
  • En proceso de indezaciónSimilares en Google

Compartir


Archivos de Zootecnia

versión impresa ISSN 0004-0592

Resumen

QUEIROZ, M.F.S. et al. Digestibilidade e parâmetros ruminais de bovinos consumindo Brachiaria brizantha cv. marandu. Arch. zootec. [online]. 2011, vol.60, n.232, pp.997-1008. ISSN 0004-0592.  http://dx.doi.org/10.4321/S0004-05922011000400016.

O consumo e digestibilidades total e parcial da matéria seca (MS), matéria orgânica (MO), proteína bruta (PB), fibras em detergente neutro (FDN) e ácido (FDA) e os parâmetros ruminais nitrogênio amoniacal e ácidos graxos de cadeia curta foram avaliados em bovinos de corte alimentados com Brachiaria brizantha cv. marandu aos 30 e 60 dias de rebrota em duas épocas do ano (janeiro e fevereiro). Os consumos de MS, MO e PB foram influenciados pela idade de rebrota da forrageira apresentando maiores valores aos 30 dias e também influenciados pela época do ano, sendo em fevereiro seu maior consumo pelos animais. A digestibilidade da MS foi em média 60,7 e 59,4% aos 30 e 60 dias de rebrota da forrageira, respectivamente, porém, demonstrou efeito de interação entre a idade de rebrota e a época do ano, mesmo comportamento observado para MO, com médias de 63,9 e 63% para as respectivas idades de rebrota. A digestibilidade da PB foi maior aos 30 dias de rebrota, média de 70,8%, que aos 60 dias, média de 57%. As digestibilidades da FDN e da FDA com efeito significativo para a interação entre a idade de rebrota e a época do ano, apresentaram aos 60 dias de rebrota na época de janeiro as menores médias, 54,8 e 48,5%, respectivamente e em fevereiro as maiores médias, 64,9 e 60,4%. A digestibilidade ruminal apresentou médias de 79,5, 86,2, 99,4 e 96,7% do total digerível para MS, MO, FDN e FDA, respectivamente, não sendo observados efeitos da idade de rebrota nem da época do ano. Após 2 horas da alimentação foi observado o pico de concentração de nitrogênio amoniacal no rúmen. A média da relação acetato:propionato:butirato observada foi 74:18:8(%).

Palabras clave : Ácidos graxos de cadeia curta; Consumo; Digestibilidade ruminal; Fracionamento do N.

        · resumen en Inglés     · texto en Portugués     · Portugués ( pdf )