SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.60 número232Caracterización genética de tres líneas de tilapia del Nilo (Oreochromis niloticus)Control de la dinámica folicular ovárica en llamas (Lama glama) en posparto temprano índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Articulo

Indicadores

Links relacionados

  • En proceso de indezaciónCitado por Google
  • No hay articulos similaresSimilares en SciELO
  • En proceso de indezaciónSimilares en Google

Compartir


Archivos de Zootecnia

versión impresa ISSN 0004-0592

Resumen

QUEIROZ, M.F.S. et al. Digestibilidade e parâmetros ruminais de bovinos consumindo Brachiaria brizantha cv. marandu. Arch. zootec. [online]. 2011, vol.60, n.232, pp.997-1008. ISSN 0004-0592.  http://dx.doi.org/10.4321/S0004-05922011000400016.

O consumo e digestibilidades total e parcial da matéria seca (MS), matéria orgânica (MO), proteína bruta (PB), fibras em detergente neutro (FDN) e ácido (FDA) e os parâmetros ruminais nitrogênio amoniacal e ácidos graxos de cadeia curta foram avaliados em bovinos de corte alimentados com Brachiaria brizantha cv. marandu aos 30 e 60 dias de rebrota em duas épocas do ano (janeiro e fevereiro). Os consumos de MS, MO e PB foram influenciados pela idade de rebrota da forrageira apresentando maiores valores aos 30 dias e também influenciados pela época do ano, sendo em fevereiro seu maior consumo pelos animais. A digestibilidade da MS foi em média 60,7 e 59,4% aos 30 e 60 dias de rebrota da forrageira, respectivamente, porém, demonstrou efeito de interação entre a idade de rebrota e a época do ano, mesmo comportamento observado para MO, com médias de 63,9 e 63% para as respectivas idades de rebrota. A digestibilidade da PB foi maior aos 30 dias de rebrota, média de 70,8%, que aos 60 dias, média de 57%. As digestibilidades da FDN e da FDA com efeito significativo para a interação entre a idade de rebrota e a época do ano, apresentaram aos 60 dias de rebrota na época de janeiro as menores médias, 54,8 e 48,5%, respectivamente e em fevereiro as maiores médias, 64,9 e 60,4%. A digestibilidade ruminal apresentou médias de 79,5, 86,2, 99,4 e 96,7% do total digerível para MS, MO, FDN e FDA, respectivamente, não sendo observados efeitos da idade de rebrota nem da época do ano. Após 2 horas da alimentação foi observado o pico de concentração de nitrogênio amoniacal no rúmen. A média da relação acetato:propionato:butirato observada foi 74:18:8(%).

Palabras clave : Ácidos graxos de cadeia curta; Consumo; Digestibilidade ruminal; Fracionamento do N.

        · resumen en Inglés     · texto en Portugués     · Portugués ( pdf )

 

Creative Commons License Todo el contenido de esta revista, excepto dónde está identificado, está bajo una Licencia Creative Commons