SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.46 suppl.1Biompresión 3D de pielAtualização e sistematização de sequelas em queimaduras índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

  • En proceso de indezaciónCitado por Google
  • No hay articulos similaresSimilares en SciELO
  • En proceso de indezaciónSimilares en Google

Compartir


Cirugía Plástica Ibero-Latinoamericana

versión On-line ISSN 1989-2055versión impresa ISSN 0376-7892

Resumen

BRITO, Íris et al. Índices de predição de mortalidade na unidade de queimados. Estudo comparativo. Cir. plást. iberolatinoam. [online]. 2020, vol.46, suppl.1, pp.91-96.  Epub 22-Jun-2020. ISSN 1989-2055.  http://dx.doi.org/10.4321/s0376-78922020000200015.

Introdução e objectivo

Os índices de prognóstico em queimados determinam a mortalidade previsível da população, que permanece uma importante medida de avaliação dos cuidados prestados.

O estudo visa comparar diferentes índices de predição de mortalidade numa unidade de queimados (UQ) e identificar potenciais aplicabilidades.

Material e métodos

Estudo retrospetivo dos doentes internados na UQ entre 2016 e 2018 (n=409). Avaliação da mortalidade e comparação das especificidades entre sobreviventes e falecidos, através de dados demográficos e clínicos na admissão. Avaliação de quatro índices (Abbreviated BurnSeverity Index (ABSI), modelo de Ryan , Belgian Outcome in Burn Injury (BOBI) e revised-Baux) na determinação da mortalidade prevista versus observada, e análise da discriminação e ajuste dos modelos (curvas ROC e area under the curve, AUC; testes de Hosmer-Lemeshow).

Resultados

A média de idades dos doentes foi de 59.1 anos, sendo 56.5% homens, com superfície corporal queimada total (SCQT) média de 12%, queimaduras de terceiro grau presentes em 67% e lesão inalatória em 11.5%. A mortalidade global observada foi de 6.4% (n=26). Os doentes falecidos eram significativamente mais velhos (71.7 vs. 58.3 anos; p<0.001), apresentavam maior SCQT (23.2 vs. 11.2%; p<0.001) e mais queimaduras de terceiro grau (92.3 vs. 65.3%; p=0.005), sem diferenças significativas no género ou lesão inalatória. Os índices de mortalidade apresentaram ajuste e discriminação adequados. Todos os índices evidenciaram valores-p >0.05 no teste de Hosmer-Lemeshow. O revised- Baux e o ABSI apresentaram um bom poder de discriminação (AUC 0.84 ± 0.04 e 0.81 ± 0.04, respectivamente), o BOBI moderado/bom (0.79 ± 0.04) e o Ryan moderado (0.73 ± 0.05).

Conclusões

Os quatro índices de mortalidade revelaram um desempenho preditivo adequado, com o revised-Baux apresentando a melhor precisão na previsão da mortalidade. A sua utilização nas UQ constitui uma ferramenta preciosa na estratificação do risco, controlo da qualidade dos cuidados, comparação de novas estratégias terapêuticas e investigação científica.

Palabras clave : Unidade de Queimados; Queimaduras; Mortalidade; Prognóstico.

        · resumen en Inglés     · texto en Español     · Español ( pdf )