SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.7 número1Competición por polímeros entre bacterias heterótrofas aisladas de partículas en el Atlántico ecuatorialSecuencia nucleotídica y expresión del determinante ncr de resistencia a níquel y cobalto en Hafnia alvei 5-5 índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Articulo

Indicadores

Links relacionados

  • En proceso de indezaciónCitado por Google
  • No hay articulos similaresSimilares en SciELO
  • En proceso de indezaciónSimilares en Google

Compartir


International Microbiology

versión impresa ISSN 1139-6709

Resumen

MARTINEZ-ALONSO, Maira et al. Distribuição de populações fototróficas e produção primária em um tapete microbiano do delta do Ebro (Espanha). INT. MICROBIOL. [online]. 2004, vol.7, n.1, pp.19-25. ISSN 1139-6709.

Os tapetes microbianos que se estabeleceram nos sedimentos litorâneos do Delta do Ebro (Tarragona, Espanha) foram investigados durante o verão, quando a comunidade estava altamente desenvolvida. Esses tapetes são compostos por três laminas pigmentadas, caracterizadas pela presença de diferentes organismos fototróficos. A lamina superior tem coloração marrom e está composta principalmente por Lyngbya aestuarii e diatomáceas. Na próxima camada, observa-se uma capa de coloração verde onde predomina a cianobactéria Microcoleus chthonoplastes. Finalmente, na camada inferior encontra-se uma lâmina rosa, na qual o organismo fototrófico dominante é uma nova bactéria púrpura sulfurosa, ainda não identificada. Na zona fótica, os organismos fototróficos oxigênicos representan cêrca de 58% da biomasa fotossintética total, medida em têrmos de biovolume, e os restantes 48% correspondem aos organismos fototróficos anoxigênicos. Com relação à biomasa oxigênica, as diatomáceas constituem cêrca de 11,8% do total, enquanto que M. chthonoplastes, L. aestuarii e as cianobactérias cocoides representam 61,2%, 20,6% e 6,4%. Nesta comunidade multilaminada, a matéria orgânica é de origem autóctone, sendo a fotossíntese a principal fonte de carbono orgânico. A produção de oxigênio alcança 27,2 mmol O2 m-2 h-1 medida à 1000 µE m-2 s-1. Enquanto que a oxidação de enxôfre na luz é de aproximadamente 18.6 mmoles m-2 h-1. Esse último valor representa cêrca de 26% da produção fotossintética total, expressa em têrmos de C fotoassimilado, o que coloca em evidência o papel relevante das bactérias fototróficas anoxigênicas como produtores primários na camada roseada dos ecossistemas estudados.

Palabras clave : fotossíntese oxigênica; fotossíntese anoxigênica; bactérias fototróficas; tapetes microbianos.

        · resumen en Español | Inglés     · texto en Inglés     · Inglés ( pdf )

 

Creative Commons License Todo el contenido de esta revista, excepto dónde está identificado, está bajo una Licencia Creative Commons