SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.11 número25Funcionalidad y recomendaciones nutricionales de ácidos grasos esenciales y sus derivados en la alimentación del lactante a partir de los 6 meses de edadContextualizacion de la mutilación genital femenina desde enfermería: Análisis videográfico índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Articulo

Indicadores

Links relacionados

  • En proceso de indezaciónCitado por Google
  • No hay articulos similaresSimilares en SciELO
  • En proceso de indezaciónSimilares en Google

Compartir


Enfermería Global

versión On-line ISSN 1695-6141

Resumen

MARQUES DE OLIVEIRA, R.  y  FERREIRA FUREGATO, A.R.. Esquizofrenia e dependência de tabaco: uma revisão integrativa. Enferm. glob. [online]. 2012, vol.11, n.25, pp.381-402. ISSN 1695-6141.  http://dx.doi.org/10.4321/S1695-61412012000100023.

O tabagismo é uma doença crónica com prejuízos à saúde física, mental e à vida social e económica do usuário. Este estudo teve por objetivo, identificar na literatura científica o conhecimento produzido sobre a dependência de tabaco na esquizofrenia e sua utilização pela enfermagem. Foi realizada uma revisão integrativa da literatura científica, de maio de 2001 a maio de 2011, a partir das seguintes questões norteadoras: Existe relação entre dependência de tabaco e esquizofrenia? Esta temática tem sido abordada pela enfermagem? Os artigos foram selecionados no MEDLINE e no Portal de Periódicos da CAPES, a partir dos descritores: tabagismo, esquizofrenia e enfermagem. Dos 346 artigos encontrados, atendendo aos critérios, a amostra ficou constituída por 52 artigos, analisados e discutidos. Constatou-se que a relação entre esquizofrenia e tabagismo é inquestionável segundo a literatura científica e preocupante, pois apesar dos aparentes benefícios (melhora dos sintomas negativos, diminuição dos efeitos colaterais das medicações, sensação de prazer) há interferência na terapêutica medicamentosa e prejuízo na apresentação do transtorno. Dos 52 artigos analisados, apenas três fizeram menção ao profissional enfermeiro, evidenciando a falta de posicionamento da enfermagem diante desta temática. Conclui-se que a associação entre tabagismo e esquizofrenia é preocupante e que a enfermagem deve incluir a abordagem ao tabagista como parte do cuidado de enfermagem, oferecendo aos pacientes psiquiátricos a oportunidade de refletir sobre o tabagismo em sua vida e sobre sua real disposição para receber ajuda para abandonar o hábito.

Palabras clave : esquizofrenia; tabagismo; enfermagem psiquiátrica.

        · resumen en Español | Inglés     · texto en Español     · Español ( pdf ) | Portugués ( pdf )

 

Creative Commons License Todo el contenido de esta revista, excepto dónde está identificado, está bajo una Licencia Creative Commons