SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.60 número229Utilización de harina de semilla de ricino (ricinus communis, L) fermentada en dietas para pollosDegradabilidade ruminal e valor nutritivo da maniçoba ensilada com níveis do resíduo vitivinícola índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Articulo

Indicadores

Links relacionados

  • En proceso de indezaciónCitado por Google
  • No hay articulos similaresSimilares en SciELO
  • En proceso de indezaciónSimilares en Google

Compartir


Archivos de Zootecnia

versión impresa ISSN 0004-0592

Arch. zootec. vol.60 no.229  mar. 2011

http://dx.doi.org/10.4321/S0004-05922011000100010 

 

 

Produção de matéria seca e composição bromatológica de genótipos de capim-elefante anão1

Dry matter production and chemical composition of dwarf elephantgrass genotypes

 

 

Araújo, S.A.C.2*, Vasquez, H.M.2, Silva, J.F.C.2, Lima, E.S.2, Lista, F.N.2, Deminicis, B.B.3 e Campos, P.R.S.S.2

2Laboratório de Zootecnia e Nutrição Animal. Centro de Ciências e Tecnologias Agropecuárias da UENF. Av. Alberto Lamego, 2000. Horto. CEP 28015-620. Campos dos Goytacazes, RJ. Brasil. *araujosac@yahoo.com.br
3Laboratório de Fitotecnia. CCTA/UENF. Campos dos Goytacazes, RJ. Brasil.

1Parte da dissertação de doutorado do primeiro autor, desenvolvida pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro-UENF.

 

 


RESUMO

Foi realizado um experimento para avaliar a taxa de acúmulo de matéria seca (TAMS) e os teores de proteína bruta (PB), fibra em detergente neutro (FDN) e lignina em ácido sulfúrico (LAS) de genótipos de capim-elefante anão submetidos a diferentes intervalos de corte. O delineamento experimental foi o de blocos casualizados com três repetições em esquema de parcelas subdivi-didas, onde os genótipos foram alocados nas parcelas e os intervalos de corte nas subparce-las. Foram avaliados cinco genótipos de capim-elefante anão (CNPGL 00-1-3, CNPGL 94-34-3, CNPGL 92-198-7, CNPGL 92-117-3 e CNPGL 00-1-5) e a cv. Mott em seis intervalos de corte (14, 28, 42, 56, 70 e 84 dias). O genótipo CNPGL 00-1-3, considerado de porte intermediário, apresentou maior TAMS, entretanto, entre os demais genótipos de porte baixo, destacaram-se os genótipos CNPGL 92-198-7, Mott, CNPGL 94-34-3 e CNPGL 92-177-3. Quanto ao teor de PB, o genótipo CNPGL 00-1-3 e CNPGL 00-1-5 apresentaram compor-tamento linear e os demais genótipos apresentaram comportamento quadrático. O teor de FDN apresentou variação significativa em função dos intervalos de corte apenas para os genótipos CNPGL 00-1-3 e CNPGL 92-198-7. Houve interação entre genótipos e intervalos de corte para os valores de LAS somente para os genótipos CNPGL 00-1-3, CNPGL 92-198-7 e CNPGL 92-117-3. Os genótipos CNPGL 92-198-7 e CNPGL 94-34-3 foram selecionados para a fase de avaliação em sistema de pastejo.

Palavras chave: Avaliação de forrageiras. Seleção de forrageiras. Produtividade.


SUMMARY

The experiment was carried out to evaluate the dry mater accumulation rate (TAMS) and levels of crude protein (PB), neutral detergent fiber (FDN) and sulfuric acid lignin (LAS) in dwarf elephantgrass genotypes submitted to different cutting intervals. The experimental design was a randomized block with three replicates in a split-plot, where genotypes were allocated plots and subplots in the cutting intervals. Were evalued five genotypes of dwarf elephantgrass (CNPGL 00-1-3, CNPGL 94-34-3, CNPGL 92-198-7, CNPGL 92-117-3, CNPGL 00-1-5) and cv. Mott in six cutting intervals (14, 28, 42, 56, 70 and 84 days). The genotype CNPGL 00-1-3 showed higher TAMS, however, among other dwarf genotypes, those who stood out were the genotypes CNPGL 92-198-7, Mott, CNPGL 94-34-3 and CNPGL 92-117-3. As for protein level, the CNPGL 00-1-3 and CNPGL 00-1-5 genotype showed linear behavior and the other genotypes showed quadratic behavior. The level of FDN showed significant variation depending on the cutting intervals only for the genotypes CNPGL 00-1-3 and CNPGL 92-198-7. There was an interaction among genotypes and cutting intervals for the values of LAS only for the CNPGL 00-1-3, CNPGL 92-198-7 and CNPGL 92-117-3. Genotypes CNPGL 92-198-7 and CNPGL 94-34-3 were selected, together with the Mott genotype for the evaluation phase under grazing.

Key words: Evaluation of forage. Selection of forage. Productivity.


 

Introdução

A espécie Pennisetum purpureum Schum. apresenta genótipos com grande variabilidade genética, diferenciando-se por características morfológicas, reprodutivas, agronômicas e bioquímicas. Dentre os diferentes genótipos que compõe o germoplas-ma de capim-elefante, os de porte baixo (anão) tem despertado elevado interesse nos sistemas de pastejo. O capim-elefante anão foi primeiramente descoberto nos anos de 1940, e a cv. Mott foi selecionada em 1977, de uma progênie auto-fecundada da cultivar Merkeron, na Geórgia (EUA). A cv. Mott é a representante mais importante do grupo, podendo atingir uma altura máxima de 1,8 m, forma touceira densa com alta relação folha/colmo, refletindo em elevado valor nutritivo.

Segundo Almeida et al. (2000), ela foi introduzida no Brasil a partir da década de 80, mas ainda há poucos estudos sobre esta forrageira no país. Mott (1984) relatou que o capim-elefante anão cv. Mott tem capacidade de produção sob pastejo de 1,0 kg de ganho médio diário.

Segundo Veiga (1990), o sucesso dessa gramínea deve-se basear na manutenção do maior número possível de pontos de rebrota, por onde se dará o acúmulo de forragem otimizando a qualidade e mantendo a rebrota nos limites de alcance dos animais e em densidade adequada, com garantia de que o manejo não comprometa a persistência da pastagem. A adoção conjunta de tecno-logias tem possibilitado atender a essas premissas e, assim, promover o uso eficiente da pastagem de capim-elefante anão, garantindo aumento em produtividade e redução nos custos de produção (Lopes et al., 2003).

Dentre essas tecnologias, destaca-se a definição do intervalo de corte ideal para cada forrageira e sistema de produção, permitindo associar a produção satisfatória à boa qualidade da forragem (Santana et al., 1994). De fato, a pronta recuperação do dossel após pastejo guarda alta correlação com a produção de forragem que depende do período de descanso, cuja duração deve observar a restauração das reservas orgânicas e área foliar residual, a interceptação luminosa pelo dossel, a perda por senescência e respiração, e o número de folhas vivas por perfilho (Cândido et al., 2005).

O presente estudo teve por objetivo avaliar as características quantitativas e qualitativas de genótipos de capim-elefante anão desenvolvidos pela EMBRAPA Gado de Leite sob intervalos de corte variáveis promovendo a seleção dos mais promissores para a fase de pastejo.

 

Material e métodos

O experimento foi conduzido nas instalações do Setor de Forragicultura e Nutrição de Ruminantes do Laboratório de Zootecnia e Nutrição Animal, pertencentes ao Centro de Ciências e Tecnologias Agropecuárias da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF) no município de Campos dos Goytacazes, localizado a 21o44'47" de latitude sul, 41o18'24" de longitude oeste e 11 m do nível do mar da região fisiográfica do norte do estado do Rio de Janeiro/Brasil.

O clima da região segundo a classificação de Köppen (1948) é do tipo Aw, tropical quente e úmido com período seco no inverno e chuvoso no verão. Os valores médios mensais da temperatura, umidade relativa do ar e precipitação pluviométrica do período experimental são apresentados na tabela I.

O solo da área experimental é classificado como um Latossolo Amarelo Distrófico Típico (EMBRAPA, 2006), apresentando a seguinte composição química: pH=5,5; P=4 e K=36 mg.dm-3 respectivamente, Ca + Mg= 2,2 e Al= 0,2 cmolc.dm-3. Foi realizada a calagem do solo utilizando-se 1,0 t.ha-1 de calcário dolomítico PRNT 96%, com o objetivo de elevar a saturação por bases a 60%.

Os genótipos de capim-elefante anão foram obtidos pelo programa de melho-ramento genético de capim-elefante da EMBRAPA Gado de Leite: CNPGL 00-1-3, CNPGL 94-34-3, CNPGL 92-198-7, CNPGL 92-117-3, CNPGL 00-1-5 e a cv. Mott. Os parâmetros quantitativos e qualitativos foram avaliados em intervalos de corte de 14, 28, 42, 56, 70 e 84 dias, em esquema de parcelas subdivididas, onde os genótipos foram alocados nas parcelas e os intervalos de corte nas subparcelas.

O plantio foi realizado através de mudas, sendo que cada subparcela foi composta por quatro fileiras de três metros de comprimento com espaçamento entre si de 1 m. Para efeito da unidade de amostragem foi desprezado um metro de cada extre-midade e uma fileira em cada lateral. A área experimental correspondeu a aproximadamente 1600 m2, na qual cada parcela foi constituída por um genótipo, com uma área de 72 m2, enquanto a subparcela corres-pondeu aos intervalos de corte com 12 m2.

O corte de uniformização foi feito a 30 cm de solo e 60 dias após o plantio. A adubação foi realizada de acordo com os resultados de análise do solo e também em concordância com as recomendações da EMBRAPA Gado de Leite: aplicação de 100 kg.ha-1 de P2O5 (superfosfato simples) no momento do plantio. A adubação de cobertura com nitrogênio e potássio foi realizada em três aplicações de mesma quantidade nos meses de janeiro, março e dezembro de 2005, perfazendo um total de 200 kg.ha-1 de N na forma de uréia e 200 kg.ha-1 de K2O na forma de cloreto de potássio. O experimento foi desenvolvido durante o período das chuvas (seis meses) do ano de 2005.

As características morfológicas de crescimento foram avaliadas para a carac-terização dos genótipos utilizando-se o maior intervalo de corte (84 dias). Quanto à altura da planta, as medidas foram obtidas a partir do nível do solo à altura de curvatura das folhas superiores, com o auxílio de uma régua graduada a uma distância de aproximadamente 5 m do observador. Para a avaliação do diâmetro do colmo e do número de folhas foram selecionados cinco perfilhos principais por unidade de amostragem. O diâmetro do colmo foi determinado no segundo entre-nó dos perfilhos pré-selecionados. O número de folhas por perfilho foi determinado após a separação do caule e lâmina foliar verde para a determinação da relação folha/colmo. O número de perfilhos foi determinado pela contagem na unidade de amostragem.

A taxa de acúmulo de matéria seca (TAMS) foi obtida pelo somatório das colheitas, como segue: para os intervalos de 14 dias (12 colheitas), 28 dias (6 colheitas), 42 dias (4 colheitas), 56 dias (3 colheitas), 70 dias (2 colheitas) e 84 dias (2 colheitas). O teor de matéria seca foi determinado por meio de pesagem do material verde no campo e secagem em estufa ventilada a 55oC durante 72 horas com nova pesagem. O nitrogênio total da forragem foi determinado pelo método de Kjeldhal, e os teores de FDN e LAS, segundo metodologia desenvolvida por Van Soest (1965), conforme descrito por Silva (1990).

O delineamento experimental utilizado foi de blocos casualizados com três repetições e seis tratamentos, constituídos por cinco genótipos de capim-elefante anão e pela cultivar Mott. Os dados foram submetidos à análise de variância e as médias dos genótipos foram comparadas pelo teste de Tukey a 5% de significância. Foi utilizada a análise de regressão para avaliar o efeito dos intervalos de corte e para o desdo-bramento da interação genótipo x intervalo de corte.

 

Resultados e discussão

O genótipo CNPGL 00-1-3 apresentou a maior altura de dossel, diâmetro de colmo e menor perfilhamento, sendo considerado de porte intermediário devendo ser utilizado em condições de capineira e não de pastejo. O genótipo CNPGL 94-34-3 e a cv. Mott apresentaram elevado número de perfilhos e relação folha-colmo. Os demais genótipos apesar de não se destacarem em função de determinado parâmetro morfológico, apresentaram um conjunto de características morfológicas de interesse para sua utilização em pastejo (tabela II).

Em relação à produtividade, houve interação de genótipos e intervalos de corte (tabela III). O genótipo CNPGL 00-1-3 apresentou maior TAMS em relação aos demais genótipos a partir de 56 dias, o que pode ser explicado pelo seu maior porte, conferindo-lhe maior proporção de colmo nas idades mais avançadas (tabela II). Entretanto, entre os demais genótipos de porte baixo, aqueles que se destacaram de maneira geral em relação à TAMS foram os genótipos CNPGL 92-198-7, Mott, CNPGL 94-34-3 e CNPGL 92-117-3, respectivamente. O genótipo CNPGL 00-1-5 apresentou menor TAMS para quase todas as interações avaliadas. A cv. Mott e o genótipo CNPGL 92-198-7 apresentaram valores de TAMS que melhor se ajustaram ao modelo quadrá-tico de regressão, enquanto que os demais genótipos se ajustaram ao modelo linear (tabela III).

Almeida et al. (2000) trabalhando com a cv. Mott em diferentes ofertas de forragem obtiveram taxa de acúmulo de matéria seca que variaram de 52,9 a 70,4 kg.ha.dia-1, utilizando o período de descanso de 28 dias. Considerando-se que as perdas decorrentes da ação do animal na pastagem são de 20-30%, pode-se concluir que os dados destes autores foram semelhantes aos do presente experimento.

Santos et al. (2004) avaliando Panicum maximum cv. Mombaça em sistema de pastejo entre outubro de 1995 e abril de 1996, verificaram taxas de acúmulo de matéria seca aos 28 dias de descanso entre 130 e 190 kg.ha.dia-1. Entretanto, estes autores utilizaram doses de adubação nitrogenada superiores ao deste experimento (400 kg.ha1).

Santos et al. (2003) avaliaram a produti-vidade dos capins Pioneiro, Mott, Mombaça, Tanzânia e Marandu em intervalos de corte de 35 dias e encontraram melhores resultados com a cv. Pioneiro, no entanto, as TAMS encontradas de 210,0; 150,8; 160,8; 149,4 e 157,1 kg.ha.dia-1 respectivamente para as forrageiras supracitadas, são superiores às encontradas neste trabalho considerando o acúmulo de massa obtido entre 28 e 42 dias de intervalo de corte.

Deresz (2001) observou produção de matéria seca de capim-elefante de porte alto para os períodos de descanso de 30, 36 e 45 dias de 11460, 12803 y 14190 kg/ha, respectivamente. Estes valores são semelhantes aos observados neste experimento inde-pendente do genótipo e do intervalo de corte. A provável explicação é devido à ação do pisoteio dos animais sob a pastagem, o que não aconteceu no presente experimento. Outra explicação, diz respeito a maior adaptação de genótipos de porte baixo à desfolhação, quando comparados com forrageiras de porte alto, que são mais prejudicadas pela eliminação do meristema apical.

É importante salientar que os dados observados neste experimento foram semelhantes aos obtidos por diversos autores com a cv. Mott, como os de Veiga (1983), Souza Filho (1987) e Thiago et al. (1992), evidenciando a adaptabilidade e o elevado potencial produtivo destes genótipos para a região Norte Fluminense.

O teor de proteína bruta também mostrou interação significativa dos genótipos com os intervalos de corte (tabela IV). Os genótipos CNPGL 00-1-3 e CNPGL 00-1-5 apresentaram comportamento linear. Entretanto, o genótipo CNPGL 00-1-5 possui características morfológicas (tabela II) que não condizem com este comportamento linear. Provavelmente este comportamento foi devido ao ataque de pragas e doenças, que podem ter aumentado a proporção de material senescente influenciando na sua qualidade.

Os demais genótipos apresentaram comportamento quadrático, ou seja, houve uma queda acentuada entre 14 e 42 dias e a partir desta idade ocorreu menor redução do teor protéico. Para todos os genótipos avaliados o teor protéico apresentou grande queda com o aumento da maturidade das plantas, entretanto, os menores valores observados foram superiores a 7%, valor considerado mínimo para a manutenção de condições ideais do ambiente ruminal.

Os teores de PB observados foram superiores aos encontrados por Deresz (2001), o qual trabalhou com períodos de descanso de 30, 36 e 45 dias em sistema de pastejo. O efeito do intervalo de corte sobre o teor protéico de capim-elefante anão também foi observado por Veiga (1990).

Mari (2003) estudando o efeito do intervalo de corte em Braquiária brizantha cv. Marandu verificou valores protéicos médios de 13,3; 12,0; 10,7; 9,0; 9,9 e 8,9 % na MS para os intervalos de corte de 15, 30, 45, 60, 75 e 90 dias. Pode-se observar que o teor protéico no primeiro intervalo de corte é inferior ao observado neste trabalho. Este fato ocorreu porque a Braquiária brizantha cv. Maran-du, apesar de ser uma excelente forrageira, não possui a mesma eficiência de extração e conversão dos nutrientes do solo que o capim-elefante. Os valores observados por esta autora foram semelhantes aos obtidos neste trabalho a partir de 28 dias.

Santos et al. (2003) encontraram valores de 10,2; 8,5; 6,9; 7,3 e 7,2% de PB para os capins Pioneiro, Mott, Mombaça, Tanzânia e Marandu aos 35 dias de período de descanso. Estes resultados são inferiores aos deste trabalho, e uma possível explicação pode ser devida à menor quantidade de adubo nitrogenado aplicados em cobertura (60 kg.ha-1).

Os dados referentes ao teor de FDN dos genótipos de capim-elefante anão em função dos intervalos de corte e suas respectivas equações de regressão são apresentados na tabela V. Pode-se observar que o teor de FDN na matéria seca apresentou variação significativa em função dos intervalos de corte apenas para os genótipos CNPGL 00-1-3 e CNPGL 92-198-7. Esse resultado é comum, devido ao acréscimo nos consti-tuintes da parede celular com aumento da participação do colmo na constituição de plantas de maior altura de dossel. Para o genótipo CNPGL 94-34-3 e a cv. Mott, o avanço da maturidade da planta não influenciou no teor de FDN devido prova-velmente à elevada relação F/C destes genótipos mesmo nas idades mais avan-çadas (tabela II). Os genótipos CNPGL 92-117-3 e CNPGL 00-1-5 provavelmente apre-sentaram pouca variação da relação F/C com o avanço da maturidade da planta, influenciando o comportamento do teor de FDN. Entretanto, apesar de não ter ocorrido inte-ração significativa, observa-se evidente dife-rença quanto ao teor de FDN entre o menor e o maior intervalo de corte para estes genótipos.

 

Os valores médios para os genótipos sem levar em consideração os intervalos de corte foram de 70,3; 67,8; 67,1; 66,3; 65,8 e 64,9 % de FDN para os genótipos CNPGL 00-1-3, CNPGL 92-198-7, Mott, CNPGL 92-117-3, CNPGL 00-1-5 e CNPGL 94-34-3.

Teores de FDN aproximados foram constatados por Flores et al. (1993), Almeida et al. (1996), Santos et al. (2003) e por Mari (2003) que também verificaram maiores teores de FDN com o aumento da idade de corte. A FDN correlaciona-se mais estreitamente com o consumo voluntário dos animais, sendo que valores acima de 55 a 60 % correlacionam-se de maneira negativa (Van Soest, 1965). Os valores de FDN encontrados estiveram sempre acima do valor crítico de 55% e, portanto, o consumo voluntário das forrageiras em pastejo poderia ser limitado no caso de uma pressão de pastejo alta, que reduziria a seletividade dos bovinos.

Costa et al. (2007) estudando o comportamento da B. Brizantha cv. MG-5 em função dos intervalos de corte, observaram variação nos teores de FDN superiores aos deste trabalho. Os valores obtidos foram de 57,4; 60,0; 65,5 e 70,8% FDN para os intervalos de corte de 15, 20, 30 e 60 dias.

Houve interação de genótipos e intervalos de corte para os valores de LAS somente para os genótipos CNPGL 00-1-3, CNPGL 92-198-7 e CNPGL 92-117-3 (tabela VI). Estes genótipos apresentaram comportamento linear em função do avanço da maturidade da planta. Os valores médios gerais observados foram de 6,6; 7,5; 7,3; 7,2; 7,6 e 7,3% de LAS para os genótipos Mott, CNPGL 00-1-3, CNPGL 94-34-3, CNPGL 92-198-7, CNPGL 92-117-3 e CNPGL 00-1-5, respectivamente.

Da mesma forma que observado para a FDN, naqueles genótipos que não apresen-taram interação significativa pode-se observar aumento da LAS entre os menores e os maiores intervalos de corte.

Flores et al. (1993) trabalhando com a cv. Mott aos 35 dias de intervalo de corte, observaram teores médios de 5,6% para lignina. Santos et al. (2001) não observaram diferença significativa para o capim-elefan-te roxo em diferentes alturas de corte, obtendo média de 8,5% de lignina, muito superior ao observado neste estudo.

Balsalobre et al. (2001) relataram que as maiores mudanças que ocorrem na composição das plantas forrageiras são aquelas decorrentes de sua maturidade. A maioria das espécies forrageiras sofre declínio no seu valor nutritivo com o aumento da idade, resultando da menor relação folha/haste combinada com a crescente lignificação da parede celular. Isto foi observado neste estudo, tanto em relação à maturidade da planta (todos os genótipos), quanto devido à relação folha/colmo (principalmente nos genótipos CNPGL 00-1-3, CNPGL 92-198-7 e CNPGL 92-117-3).

 

Conclusões

Com base nos dados de TAMS e composição bromatológica, os genótipos CNPGL 92-198-7, CNPGL 94-34-3 e a cv. Mott foram considerados os mais promi-ssores, sendo selecionados para a fase de avaliação em sistema de pastejo. Os genótipos CNPGL 00-1-3, CNPGL 92-198-7 e CNPGL 94-34-3 apresentaram de maneira geral rendimento de matéria seca e teor de proteína bruta superiores a cv. Mott, evidenciando a eficácia dos trabalhos de melhoramento genético do capim-elefante anão. Os genótipos CNPGL 92-198-7 e CNPGL 94-34-3 são forrageiras promissoras devendo ser recomendados para a avaliação sob condições de pastejo.

 

Bibliografia

Almeida, E.X., Maraschin, G.E., Harthmann, O.E.L., Ribeiro Filho, H.M.N. e Setelich, E.A. 2000. Oferta de forragem de capim-elefante anão 'mott' e o rendimento animal. Rev. Bras. Zootecn., 29: 1288-1295.        [ Links ]

Almeida, E.X., Maraschin, G.E. e Stuker, H. 1996. Oferta de forragem de capim-elefante anão (P. purpureum Schum.) cv. Mott. composição química e digestibilidade. Em: Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia, 33. Fortaleza. Anais.. SBZ. Fortaleza. pp. 93-94.        [ Links ]

Balsalobre, M.A.A., Nussio, L.G. e Martha Júnior, G.B. 2001. Controle de perdas na produção de silagem de gramíneas tropicais. Em: Simpósio sobre manejo da pastagem, 2001, Piracicaba. Anais.. FEALQ. Piracicaba. pp. 890-911.        [ Links ]

Cândido, M.J.D., Alexandrino, E. e Gomide, J.A. 2005. Duração do período de descanso e crescimento do dossel de Panicum maximum cv. Mombaça sob lotação intermitente. Rev. Bras. Zootecn., 34: 398-405.        [ Links ]

Costa, K.A.P., Oliveira, I.P., Faquin, V., Neves, B.P., Rodrigues, C. e Sampaio, F.M.T. 2007. Intervalo de corte na produção de massa seca e composição químico-bromatológica da Brachiaria brizantha cv. MG-5. Ciênc. Agrotec., 31: 1197-1202.        [ Links ]

Deresz, F. 2001. Influência do período de descanso da pastagem de capim-elefante na produção de leite de vacas mestiças holandês x zebu. Rev. Bras. Zootecn., 30: 461-469.        [ Links ]

EMBRAPA. 2006. Sistema brasileiro de classi-ficação de solos. 2a ed. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Solos. Rio de Janeiro. 306 pp.        [ Links ]

Flores, J.A., Moore, J.E. and Sollenbergert, L.E. 1993. Determinants of forage quality in pensacola bahiagrass and Mott elephantgrass. J. Anim. Sci., 71: 1606-1614.        [ Links ]

Köppen, W. 1948. Climatologia: con un estudio de los climas de la tierra. Fondo de Cultura Econômica. México. 479 pp.        [ Links ]

Lopes, F.C.F., Deresz, F., Rodriguez, N.M., Aroeira, L.J.M., Borges, I., Matos, L.L. e Vittori, A. 2003. Disponibilidade e perdas de matéria seca em pastagem de capim-elefante (Pennisetum purpureum, Schumack) submetida a diferentes períodos de descanso. Arq. Bras. Med. Vet. Zoo., 55: 454-460.        [ Links ]

Mari, L.J. 2003. Intervalo entre cortes em capim marandu (Braquiária brizantha Staf cv. Marandu): produção, valor nutritivo e perdas associadas à fermentação da silagem. Dissertação (Mestrado em Agronomia). Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz. Piracicaba. 159 pp.        [ Links ]

Mott, G.O. 1984. Carrying capacity and live weight gains from dwarf elephant-grass. In: Florida Beef Cattle Short Course Practice. Anais… Gainesville. 111 pp.        [ Links ]

Santana, J.R., Pereira, J.M. e Ruiz, M.A.M. 1994. Avaliação de cultivares de capim-elefante (Pen-nisetum purpureum Schum.), no sudoeste da Bahia. II - Agrossistema de Itapetinga. Rev. Soc. Bras. Zootecn., 23: 507-517.        [ Links ]

Santos, E.A., Silva, D.S. e Queiroz Filho, J.L. 2001. Composição química do capim-elefante cv. roxo cortado em diferentes alturas. Rev. Bras. Zootecn., 30: 18-23.        [ Links ]

Santos, M.V.F., Dubeux Júnior, J.C.B., Silva, M.C., Santos, S.F., Ferreira, R.L.C., Mello, A.C.L., Farias, I. e Freitas, E.V. 2003. Produtividade e composição química de gramíneas tropicais na zona da Mata de Pernambuco. Rev. Bras. Zootecn., 32: 821-827.        [ Links ]

Santos, P.M., Balsalobre, M.A.A. e Corsi, M. 2004. Características morfogenéticas e taxa de acúmulo de forragem do capim-mombaça submetido a três intervalos de pastejo. Rev. Bras. Zootecn., 33: 843-851.        [ Links ]

Silva, D.J. 1990. Análise de alimentos (métodos químicos e biológicos). 2a ed. UFV. Viçosa. 165 pp.        [ Links ]

Souza Filho, A.P.S. 1987. Rendimento forrageiro, composição química e digestibilidade das frações folha e colmo do capim-elefante (Pen-nisetum purpureum Schum.) dwarf em diferentes idades. Lavras. Dissertação (Mestrado em Zootecnia). Escola Superior de Agricultura de Lavras. Lavras. 104 pp.        [ Links ]

Thiago, L.R.L.S., Macedo, M.C.M., Nicodemo, M.L.F. e Anjos, C.R. 1992. Avaliação de cultivares e híbridos de Pennisetum purpureum em Mato Grosso do Sul. Em: Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia, 29. 1992. Anais.. SBZ. Lavras. pp. 78.        [ Links ]

Van Soest, P.J. 1965. Voluntary intake relation to chemical composition and digestibility. J. Anim. Sci., 24: 834-844.        [ Links ]

Veiga, J.B. 1983. Effect of grazing management upon a dwarf elephantgrass (Pennisetum purpureum Schum.) pasture. Thesis (Doctor of Phylosophy). University of Florida. Gainesville. 197 pp.        [ Links ]

Veiga, J.B. 1990. Utilização do capim-elefante sob pastejo. Em: Simpósio Sobre Capim-Elefante, 1. Coronel Pacheco. Anais.. EMBRAPA-Gado de Leite. Coronel Pacheco. pp. 133.        [ Links ]

 

 

Recibido: 19-11-08.
Aceptado: 9-6-09.

Creative Commons License Todo el contenido de esta revista, excepto dónde está identificado, está bajo una Licencia Creative Commons