SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.37 número2Tratamiento de las malformaciones venosas con alambres de cobreFascitis necrosante bilateral: a propósito de un caso índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

  • En proceso de indezaciónCitado por Google
  • No hay articulos similaresSimilares en SciELO
  • En proceso de indezaciónSimilares en Google

Compartir


Cirugía Plástica Ibero-Latinoamericana

versión On-line ISSN 1989-2055versión impresa ISSN 0376-7892

Cir. plást. iberolatinoam. vol.37 no.2 Madrid abr./jun. 2011

http://dx.doi.org/10.4321/S0376-78922011000200009 

 

 

Lábio duplo: relato de caso e revisão da literatura

Double lip: Report of a case and review of the literature

Labio doble: Caso clínico y revisión de la literatura

 

 

Olímpio Aguiar, P.*; Veras Aguiar, C.**, Mittmann, M.***, José Alves, P***

* Cirurgião Plástico e Tutor de Residentes do Hospital Geral de Fortaleza-SUS e do Instituto Dr. José Frota, Fortaleza, Ceará, Brasil
** Residente do Serviço de Otorrinolaringologia do Hospital Geral de Fortaleza-SUS
*** Cirurgião Plástico, ex-Residente do Serviço de Cirurgia Plástica do Hospital Geral de Fortaleza-SUS

Correspondência

 

 


RESUMO

Lábio duplo é uma anomalia rara caracterizada por uma redundância de mucosa labial visível à abertura bucal ou ao sorriso. Ocorre com maior freqüência no lábio superior. O tratamento é cirúrgico sendo descritas algumas técnicas para sua correção. Na paciente apresentada foram realizadas ressecções elípticas de mucosa e tecido submucoso combinadas a uma z-plastia vertical na parte central do lábio superior. Os resultados estético e funcional foram satisfactórios.

Palavras-chave: Lábio duplo; Z-plastia; Cirurgia.


ABSTRACT

Double lip is a rare anomaly characterized by a redundancy of labial mucosa visible during mouth opening or during smiling. It occurs more frequently in the upper lip.
The treatment is surgical and there are many techniques for its correction.
In our clinical case we used an elliptical excision of mucosal and submucosal tissue combined with a vertical midline z-plasty of the upper lip. Satisfactory aesthetic result was achived.

Key words: Double lip, Labial mucosa, Z-plasty.

Numeral Code: 252-2522.


RESUMEN

El labido doble es una anomalía rara que se caracteriza por una redundancia de la mucosa labial visible al abrir la boca o al sonreir. Afecta con mayor frecuencia al labio superior.
Su tratamiento es quirúrgico, para lo cual están descritas diversas técnicas.
En la paciente que presentamos se realizaron resecciones elípticas de la mucosa y del tejido submucoso combinadas con una z-plastia vertical en la parte central del labio superior. Los resultados estéticos y funcionales de nuestro caso fueron satisfactorios.

Palabras clave: Labio doble, Mucosa labial, Z-plastia.

Código numérico: 252-2522.


 

Introdução

Lábio duplo é uma entidade clínica rara (1,2) que se apresenta como um excesso de tecido mucoso labial, podendo ocasionar alterações funcionais, estéticas ou ambas (3). Pode ser congênito ou adquirido (4). Afeta principalmente o lábio superior, uni ou bilateralmente, mas pode ser observado também no inferior ou ainda acometendo os dois lábios (2). A incidência desta anormalidade é desconhecida, podendo se apresentar isoladamente ou em associação com outras anomalias (5). Seu tratamento é cirúrgico (2) devendo ser realizado sempre que houver interferência com a fala ou mastigação, além de motivações estéticas (6) e consiste na ressecção da mucosa e submucosa labial redundante (4).

 

Relato de caso

Uma jovem de 27 anos de idade queixava-se de aspecto inestético em seu lábio superior, com inicio aos 18 anos. Relatava intenso constrangimento social, que a impedia de freqüentar ambientes diversos, além de dificuldade no relacionamento conjugal. A história familiar não revelava casos semelhantes. Apresentava aumento pronunciado do lábio superior, que se tornava mais evidente quando sorria, além da presença de uma constrição central (Fig. 1).

 

O tratamento cirúrgico foi realizado sob bloqueio anestésico de ambos os nervos infra-orbitários. Realizou-se a marcação cirúrgica com azul de metileno de duas elipses transversas com "Z" central (Fig. 2). O excesso de tecido mucoso e submucoso labial foi removido com excisões elípticas e a brida central foi corrigida com z-plastia conforme a marcação. A cirurgia foi concluída com a realização de sutura simples, utilizando-se fio sintético absorvível de poliglactina 6-0.

 

A ferida operatória evoluiu com edema local que se resolveu ao final da segunda semana. Dois meses após, no seguimento ambulatorial a paciente estava plenamente satisfeita com o resultado obtido, relatando inclusive que havia voltado a freqüentar ambientes sociais em companhia do cônjuge. Após dezoito meses não houve sinais de recidiva ou complicações tardias (Fig. 3 e 4).

 

Discussão

O lábio duplo corresponde a uma hipertrofia da zona interna da mucosa labial não contendo fibras musculares. Pode ocorrer isoladamente ou em associação com deformidades congênitas como a síndrome de Ascher, que ainda inclui blefarocálase e aumento assintomático da tireóide (6). Outras condições associadas que podem ocorrer são: úvula bífida (6), fissura palatina (7), queilite glandular e alterações vasculares (9).

Histologicamente detecta-se uma hipertrofia de glândulas mucosas e ductos excretores dilatados (1,5).

Algumas técnicas cirúrgicas são descritas na literatura para correção de lábio duplo, a maioria realizando ressecção elíptica. Em 1922, Dorrance (8) preconizou a ressecção elíptica, em crescente, do excesso de mucosa e sutura direta, técnica também preferida por Reddy e Kotewara (1) bem como por vários outros autores. Martins et al. (9) também propõem excisão em elipse da área de mucosa redundante, com aproximação e sutura direta, quando o lábio duplo for unilateral. Para Guerrero-Santos e Altamirano (5) ao ressecar a elipse, o cirurgião pode incorrer no erro de retirar tecido além do necessário, por isso defendem a w-plastia como técnica apropriada para evitar deformidades pós-ressecção. Eski et al (4), mais recentemente, descreveram, para casos em que existe uma brida central, ressecção bilateral elíptica da mucosa hipertrofiada, associada a uma z-plastia vertical ao nível da brida.

No caso da paciente apresentada optou-se pela técnica de Eski, pois além da hipertrofia da mucosa labial havia uma constrição central acentuada. A ressecção de uma elipse única na extensão de todo o lábio não corrigiria adequadamente a brida e poderia resultar em uma cicatriz mais extensa que se estenderia a ambas as comissuras labiais com possibilidade de distorcê-las.

 

Conclusão

Observamos que o método descrito por Eski et al em 2007 é inovador ao acrescentar uma z-plastia, detalhe simples, porém decisivo e importante para restabelecer função e estética no lábio duplo com brida. O resultado harmonioso e funcional que conseguimos obter no caso apresentado nos incentiva à divulgação da técnica.

 

 

Correspondência:
Dr. Pedro Olímpio Aguiar
Rua Pedro Rufino 100, apto. 203-A
Fortaleza, Ceará, Brasil
CEP 60175-100
e-mail: pedrolimpio@uol.com.br

 

 

Referência

1. Reddy KA, Kotewara A.: "Congenital double lip: a review of seven cases". Plast Reconstr Surg 1988; 84: 420.         [ Links ]

2. Benmeir P, Weinberg A, Neuman A, et al.: "Congenital double lip: Report of five cases and review of the literature". Ann Plast Surg 1992; 28: 180.         [ Links ]

3. Marzola C, Pinto RS.: "Lábio duplo: técnicas cirúrgicas". Rev Ass Paul Cir Dent 1996; 20: 180.         [ Links ]

4. Eski M, Weiberg A, Nisanci M, et al.: "Congenital double lip: review of 5 cases". Br J Oral Maxillofac Surg 2007; 45: 68.         [ Links ]

5. Guerrerosantos J, Altamirano JT.: "The use of W-plasty for the correction of double lip deformity". Plast Reconstr Surg 1967; 39: 478.         [ Links ]

6. Barnett ML, Bosshardt, LL, Morgan AF.: "Double lip and double lip with blepharochalasis (Ascher's syndrome)". Oral Surg Oral Med Oral Pathol 1972; 34: 727.         [ Links ]

7. Calnam J.: "Congenital double lip: report of a case with a note on embryology". Br J Surg 1952; 5: 197.         [ Links ]

8. Dorrance GM.: "Double lip". Ann Surg 1922.         [ Links ]

9. Martins WD, Westphalen FH, Sandrin R, et al.: "Congenital maxillary double lip: review of the literature and report of a case". J Can Dent Assoc 2004; 70: 466.         [ Links ]

Creative Commons License Todo el contenido de esta revista, excepto dónde está identificado, está bajo una Licencia Creative Commons