SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.10 issue24Evidence-based nursing and care managementHistoria de la rehabilitación en Brasil, en el mundo y el papel de enfermería en este contexto: reflexiones y tendencias basadas en la revisión de literatura author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

My SciELO

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

  • On index processCited by Google
  • Have no similar articlesSimilars in SciELO
  • On index processSimilars in Google

Share


Enfermería Global

On-line version ISSN 1695-6141

Enferm. glob. vol.10 n.24 Murcia Oct. 2011

http://dx.doi.org/10.4321/S1695-61412011000400021 

REVISIONES

 

Técnicas observacionais e a temática qualidade de vida: uma revisão integrativa

Técnicas de observación y la temática calidad de vida: una revisión integrativa

 

 

Zamberlán, C.*; Calvetti, A.**; Reinstein de Figueiredo, T.**; Dei Svaldi, J.***; Heckler de Siqueira, H.C.****

*Enfermeira, Unidade de Cardiologia Intensiva (UCI), Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM/UFSM).
**Enfermeira. Miembro do Grupo de Pesquisa GEES.
*** Doutora em Enfermagem por la FURG, Membro do GEES.
****Doctora en Enfermería. Docente da Escola de Enfermagem da FURG. Líder do Grupo de Estudos e Pesquisa: Gerenciamento Ecossistêmico em Enfermagem/Saúde. Brasil.

 

 


RESUMO

No contexto atual a qualidade de vida pode ser percebida sob diversos enfoques. Esta qualidade emerge de situações vividas e experienciadas por cada indivíduo. Esse fenômeno encontra-se ligado à circularidade, a interdependência e influência que os elementos constituintes de um espaço/território/ambiente mantêm entre si. Teve-se como objetivo descrever as técnicas observacionais que foram utilizadas na produção científica da enfermagem que abordaram a temática qualidade de vida. Trata-se de pesquisa bibliográfica, do tipo revisão integrativa. O corpus de análise correspondeu a doze artigos. Como resultados, pode-se perceber, a necessidade emergente de mais pesquisas na enfermagem sobre qualidade de vida com utilização da técnica de observação tendo em vista que a temática é amplamente discutida na atualidade em diferentes espaços.

Palavras chave: Enfermagem; Qualidade de Vida; Observação.


RESUMEN

En el contexto actual la calidad de vida puede percibirse desde varios puntos de vista. Esta calidad emerge de situaciones vividas y experimentadas por cada individuo. Este fenómeno está vinculado a la circularidad, la interdependencia e influencia que los elementos constituyentes de una zona, región o ambiente tienen entre sí. Se tuvo como objetivo describir las técnicas de observación que se utilizaron en la producción científica de enfermería que abordó la cuestión de calidad de vida. Investigación bibliográfica del tipo revisión integrativa.. El corpus de análisis fue de doce artículos. Como resultado, se puede ver la emergente necesidad de más investigación en enfermería sobre la calidad de vida mediante la técnica de observación teniendo en cuenta que el tema es ampliamente discutido en la actualidad en diferentes espacios.

Palabras clave: Enfermería; Calidad de vida; Observación.


ABSTRACT

Today quality of life can be seen from several viewpoints. This quality emerges in situations lived and experienced by each individual. This phenomenon is connected to the circularity, interdependence and influence that the constituents of an area / region / environment have with each other. The objective was to describe the observational techniques that were used in nursing scientific production that addressed the quality of life issue. An integrative review of the literature was made. The corpus amounted to twelve articles. As a result, one can see, the emerging need for more research in nursing on quality of life using the technique of observation given that the subject is widely discussed nowadays in different spheres.

Key words: Nursing; Quality of life; Note.


 

Introdução

No contexto atual a qualidade de vida pode ser percebida sob diversos enfoques. Esta qualidade emerge de situações vividas e experienciadas por cada indivíduo. Esse fenômeno encontra-se ligado à circularidade, a interdependência e influência que os elementos constituintes de um espaço/território/ambiente mantêm entre si.

Nesta perspectiva o espaço/ambiente coabitado pelos seres humanos, suscita modos de viver com características próprias e que podem possibilitar o desencadeamento de uma melhor ou pior qualidade de vida. Assim houve a necessidade de estudar determinadas áreas do conhecimento para estabelecer respostas confiáveis à qualidade de vida já que tem por definição uma dimensão complexa que segue a dinâmica das populações em suas diferentes culturas, valores e crenças1.

A qualidade de vida por meio de sua característica integradora, interrelacional e multidimensional emerge nos vários contextos da saúde e nas múltiplas dimensões humanas quais sejam: biológica, social, psicológica e social. Além disso, os aspectos da qualidade de vida se interrelacionam com o ambiente onde os sujeitos estão inseridos e necessitam de atenção, no intuito de permitir o equilíbrio e sustentabilidade de todos os que participam desta totalidade2.

Neste ínterim a observação do ambiente em que os sujeitos vivem e con-vivem pode propiciara a visualização de ações que por meio de outras técnicas não seria possível. Assim, a observação de algum modo direciona-se ao encontro de um problema e o pesquisador neste método acompanha pessoas e eventos para observar os comportamentos e relacionamentos cotidianos3.

Com base neste pensamento emerge como problema de pesquisa: como as técnicas observacionais são utilizadas nas produções científicas da enfermagem que abordaram a temática da qualidade de vida?

Nesta ênfase e ao mesmo tempo em um contexto mais amplo a temática qualidade de vida se relaciona com múltiplos espaços, por meio de ações e atividades que se constroem e reconstroem de modo distinto o que corrobora com o diálogo, a discussão e a construção do conhecimento, na perspectiva da promoção da saúde2.

Assim, este estudo teve como objetivo: descrever as técnicas observacionais que foram utilizadas na produção científica da enfermagem que abordaram a temática qualidade de vida.

 

Revisão integrativa

Esse estudo caracteriza-se como uma revisão integrativa (RI), método que tem como finalidade a sumarização de pesquisas já concluídas, para obter novas conclusões a partir de um tema de interesse4.

Por reunir resultados de pesquisas sobre um delimitado tema ou questão, de maneira sistemática e ordenada a RI contribui para que o conhecimento do tema seja aprofundado e, além disso, para que se obtenha um maior entendimento de um determinado fenômeno baseando-se em estudos anteriores5.

Ao trabalhar esta revisão utilizaram-se as seguintes etapas: delimitação do objetivo; definição dos critérios de inclusão das produções científicas; busca dos estudos nas bases de dados; análise dos resumos dos estudos; seleção dos estudos, de acordo com os critérios de inclusão; avaliação criteriosa dos estudos e escolha dos estudos selecionados e análise dos dados4.

O levantamento bibliográfico foi realizado em todas as bases de dados da Biblioteca Virtual em Saúde, no mês de dezembro de 2010, com delimitação do período de publicação entre o ano de 2001 a 2010 e utilizando as seguintes palavras chaves: qualidade de vida, enfermagem e estudos observacionais.

Utilizaram-se como critérios de inclusão: artigo científico publicado em revista brasileira indexados na base Scielo (Scientific Eletronic Library Online) e disponíveis on-line; período de 1o de janeiro de 2001 a 1o dezembro de 2010; palavra qualidade de vida ou observação presente no resumo; artigos apresentando a observação como técnica de coleta de dados, podendo ou não estar associada a outra técnica e ter pelo menos um autor enfermeiro.

Foi elaborado um instrumento para coleta de dados designado como formulário de registro abrangendo o código de referência, título da publicação, autores, fonte de publicação, tipo de artigo, área de atuação da enfermagem em que a qualidade de vida foi utilizada.

 

Resultados

Por meio da coleta de dados pesquisados emergiram 23 artigos, destes, um foi publicado no ano de 2001, um em 2002, dois em 2003, dois foram publicados em 2004, cinco em 2005, um em 2006, nenhum em 2007, cinco em 2008, quatro em 2009 e dois em 2010.

Foram excluídos, por não apresentarem no mínimo um enfermeiro como autor: em 2001, o único artigo foi excluído, em 2003 um, em 2006 o único artigo foi excluído, em 2008 quatro artigos, em 2009 três e em 2010 um artigo.

Ao final da coleta de dados foram selecionados 12 artigos, que se adequaram à pesquisa e, por isso, compuseram o corpus de análise conforme pode ser visto no Quadro 1.

Verificou-se que onze artigos, não tiveram um enfermeiro como autor/co-autor, demonstrando que o tema qualidade de vida com utilização da técnica de observação como coleta de dados é mais abordado por profissionais de outras áreas (Educação, Sociologia, Antropologia, Psicologia, Medicina dentre outras), corroborando com a base de dados e período pesquisado.

Outro achado relevante foi que todos os artigos selecionados mencionaram no resumo as palavras chaves qualidade de vida e observação. A seguir apresenta-se o Quadro 2, que demonstra as referências dos materiais selecionados, considerando-se os critérios de inclusão dos dados.

Verifica-se no Quadro 2 que os 12 estudos de pesquisa encontrados foram 11 com abordagem qualitativa e um, quantitativa. Quanto ao ano de publicação prevaleceu 2005 com maior enfoque, totalizando cinco artigos sobre a temática. O periódico que mais apresentou manuscritos sobre qualidade de vida utilizando a metodologia da observação foi a Revista Latino Americana em Enfermagem, com seis artigos no total do período pesquisado. Todos os artigos tinham como autores pelo menos um enfermeiro. Todas as produções foram escritas por, pelo menos, um enfermeiro.

Os artigos que compuseram o corpus de análise foram categorizados de acordo com a metodologia utilizada visto ser esta o foco do trabalho: observação como técnica de coleta de dados, podendo ou não estar associada a outra técnica. A observação e a entrevista apresentaram maior frequência: seis utilizaram a entrevista e observação participante como método de coleta de dados; duas utilizaram a observação participante, entrevista semiestruturada diário de campo, etnografia e fotografia; uma utilizou observação livre e revisão de prontuários; uma entrevista, questionário e observação livre; uma entrevista, observação livre e notas de campo; e, uma utilizou a observação participante.

Percebe-se que somente um artigo utilizou a observação como método de coleta de dados e que a maioria utiliza a entrevista semiestruturada associada à técnica observacional totalizando, neste caso, dez dos artigos pesquisados.

 

Discussão

No Quadro 1 verificou-se a exclusão de quase metade dos artigos científicos no decorrer dos anos, assim, percebe-se que os pesquisadores enfermeiros apresentam certa dificuldade em trabalhar a metodologia da observação relacionada à temática da qualidade de vida.

A observação caracteriza-se como uma técnica de coleta de dados a qual consegue as informações e utiliza os sentidos na obtenção de determinados aspectos da realidade, não consistindo apenas em ver e ouvir, mas, fundamentalmente, em observar fatos ou fenômenos que se deseja investigar6.

Sabendo-se que a qualidade de vida é um constructo subjetivo há que se considerar que muitas vezes o que se observa pode não ser sentido pelos sujeitos investigados. Assim, autores corroboram com o pensamento de que a qualidade de vida é complexa, multifatorial, dinâmica e inclui a opinião de que há múltiplas dimensões envolvidas tais como: culturais, materiais, psicológicos, espirituais emocionais e ambientais. Neste contexto ideias e sentimentos pessoais também estão envolvidos com relação a todas estas dimensões7. Vale ressaltar que pode ser por este conceito e pela subjetividade da temática que ocorre a dificuldade dos enfermeiros utilizarem a metodologia da observação no tema qualidade de vida.

Visualiza-se no Quadro 2, que dos doze artigos identificados, dois foram construídos por autores de áreas distintas, o que pode direciona a ausência da exploração da interdisciplinaridade. As pesquisas interdisciplinares são de fundamental importância, pois as disciplinas isoladamente não conseguem explicitar a totalidade. Assim, a interdisciplinaridade é uma possibilidade de contribuição para a clareza e talvez para elucidar de modo mais fidedigno um objeto que é comum a vários profissionais8. Concernente à metodologia utilizada para a coleta de dados foram estabelecidas duas (2) categorias de análise referentes a observação quais sejam: observação participante e observação livre. A discussão que se inicia foi alicerçada nos escritos dos doze (12) artigos, corpus desta pesquisa.

Qualidade de vida e observação participante

Ao se falar em observação participante há que se considerar a participação real do pesquisador na comunidade ou grupo que esta sendo pesquisado. Neste sentido o pesquisador incorpora-se ao grupo confundindo-se com ele7. Torna-se assim, uma tentativa de dispor o observador e observado do mesmo lado.

Para discutir a qualidade de vida e observá-la alicerçada nesta metodologia de coleta de dados tem-se que inicialmente perceber o cenário cultural onde estes sujeitos estão inseridos.

Corroborando com este enfoque há que se considerar que a qualidade de vida se altera na medida em que as necessidades humanas fundamentais não são totalmente satisfeitas9. Neste constructo o pesquisador necessita reconhecer que o estudo da qualidade de vida e a observação da mesma representa um desafio10 visto que a importância da observação participante reside no fato de que pode-se captar uma variedade de situações ou fenômenos que não poderiam ser obtidos por meio de perguntas, uma vez que são obtidos por meio da própria realidade, transmitindo o que há de mais fidedigno na vida real11.

O enfermeiro avaliando a qualidade de vida por meio da observação participante pode aferir que este é um tema e metodologia dinâmica onde há a necessidade de contextualizar o ambiente direcionando-se para a busca do real e do concreto. Sendo assim, abordar a qualidade de vida por meio da observação participante emerge na visualização de um mundo complexo, interconectado e interativo.

Há que se considerar também que os artigos pesquisados e que utilizaram a observação participante, em pesquisas acerca do tema qualidade de vida, aliaram-se na sua maioria a outras técnicas de coleta salientando-se a entrevista. Os estudos apontam que a junção das duas técnicas permite apreender opiniões e percepções mais significativas apresentando assim, achados verdadeiramente reais12.

Qualidade de vida e observação livre

A observação livre ou também denominada de assistemática caracteriza-se por ser espontânea, informal e ocasional consistindo em recolher fatos e registrá-los sem que o pesquisador utilize meios técnicos especiais ou precise realizar perguntar diretas. Neste ínterim, é mais utilizada em estudos exploratórios não possuindo planejamento e controle previamente elaborados6.

Avaliar a qualidade de vida por meio da observação livre pode resultar em fatos não visualizados. Isto porque a qualidade de vida envolve aspectos subjetivos e objetivos, assim, muitos aspectos podem ficar sem respostas ou sem explicações reais. O profissional da saúde ao utilizar esta técnica de coleta de dados em especial na temática qualidade de vida geralmente assegura-se em outra técnica que pode subsidiar o estudo com informações mais pertinentes acerca do que se quer investigar.

Diante do exposto fica evidente que a utilização da técnica irá depender do observador, estando o mesmo atento aos fenômenos que ocorrem no ambiente que o cerca, de sua perspicácia, discernimento ao observar, preparo e treinamento6. Isto deve-se ao fato de que todas as projeções observadas no que concerne a qualidade de vida podem transformar-se rapidamente com reflexos diretos no que é observado10.

Neste sentido percebe-se a necessidade da utilização de outra técnica de coleta de dados juntamente a observação livre, visto que a agregação de duas técnicas pode subsidiar um achado mais sustentável cientificamente do que se quer estudar/investigar.

Assim, avaliar o impacto da qualidade de vida por meio da observação livre torna-se um desafio visto a complexidade em se quantificar fatores subjetivos. Pelo exposto vislumbra-se que a qualidade de vida não pode ser tomada e observada como um conceito geral, mas entendida dentro da experiência cotidiana e pessoal de cada um dos envolvidos13.

 

Considerações finais

Pela presente pesquisa de revisão integrativa pode-se perceber a necessidade emergente de mais pesquisas na enfermagem sobre qualidade de vida com utilização da técnica de observação tendo em vista que a temática é amplamente discutida na atualidade em diferentes espaços. Além disso, há também a preocupação acerca de realização de trabalhos interdisciplinares utilizando-se a ferramenta da observação como coleta de dados, o que não foi observado pelos estudos encontrados.

Acredita-se que o objetivo delineado anteriormente foi atingido, porém, com um número insipiente de trabalhos que direcionam-se ao alcance do objetivo. Assim, esta revisão confirmou mais uma vez a dificuldade de mensurar a qualidade de vida, por ser complexa e dinâmica além de possuir uma natureza multifatorial que pode interferir no que está sendo observado.

Além disso, esta revisão integrativa pode instigar pesquisadores enfermeiros que abordam a temática da qualidade de vida seja no ensino, na pesquisa ou na extensão a trabalharem com a temática em uma abordagem observacional, tendo em vista o pequeno número de trabalhos publicados.

Deste modo considerando a subjetividade e objetividade da temática conclui-se que toda a experiência cotidiana, seja nos aspectos materiais da qualidade de vida ou na sua dimensão subjetiva, tem na observação um instrumento relevante que pode junto com outros métodos de coleta de dados subsidiar uma percepção integral do que se quer investigar.

 

Referências

1. Lentz RA, Costenaro RGS, Gonçalvez LHT, Nassar SN. O profissional de enfermagem e a qualidade de vida: uma abordagem fundamentada nas dimensões propostas por Flanagan. Rev Latino Enferm Ribeirão Preto. 2000 Ago; 8(4):7-14.         [ Links ]

2. Zamberlan C, Calvetti A, Deisvaldi J, Siqueira HCH. Qualidade de vida, salud y enfermería en la perspectiva ecosistémica. Enfermería Global. 2010;10:1-7.         [ Links ]

3. Pope C, Mays N. Métodos observacionais. In: Pope C, Mays N. Pesquisa Qualitativa na atenção à saúde. Porto Alegre (RS): Artmed; 2004. p. 46-55.         [ Links ]

4. Menezes KDS, Silveira RCCP, Galvão CM. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto Enferm. 2008; 17(4):758-64.         [ Links ]

5. Cooper H. The integrative research review: a systematic approach. NY: Sage Pub; 1984.         [ Links ]

6. Marconi MA, Lakatos EM. Fundamentos da metodologia científica. São Paulo: Atlas; 2003.         [ Links ]

7. Radunz V, Olson J. Promoção da saúde e qualidade de vida entre mães de pré-adolescentes: um estudo etnográfico enfocado em Timbó/SC, Brasil. Rev Lat Am Enfermagem. 2005 Nov-Dez; 13(2):1-8.         [ Links ]

8. Santos SSC, Lunardi VL, Herdmann AL, Caloni H. Interdisciplinaridade: a pesquisa como eixo de formação/profissionalização na saúde/enfermagem. Revista Didática Sistêmica. 2007 Jan-Jun; 5:13-22.         [ Links ]

9. Minayo MCS. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Rio de Janeiro: Vozes; 1998.         [ Links ]

10. Andrade GRB, Vaitsman J. Apoio social e redes: conectando solidariedade e saúde. Ciência e Saúde Coletiva [internet]. 2002. [Acesso em: 5 jan 2011];7(4). Disponível em: http://www.scielo.br.         [ Links ]

11. Castro MR, Vargas LA. A interação/atuação da equipe do programa de saúde da família do Canal do Anil com a população idosa. Adscrita. Physis: Revista de Saúde Coletiva [internet]. 2005. [acesso em 5 jan 2015(2). Disponível em: http://www.scielo.br.         [ Links ]

12. Souza RA, Carvalho AM. Programa de saúde da família e qualidade de vida: um olhar da psicologia. Revista Estudos de psicologia, 2003 Set-Dez; 8(3):515-23.         [ Links ]

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License